Notícias da Mídia


Alta tecnologia dos cosméticos conquista brasileiros

Eles são a resposta ao pedido do consumidor por uma rotina de cuidados pessoais mais prática. Repletos de inovação e tecnologia, trazem múltiplos benefícios para a saúde, o bem-estar e até o bolso das pessoas. Estamos falando dos cosméticos multifuncionais, que reúnem diferentes finalidades em um mesmo produto. “Vamos pegar o exemplo de um homem que quer um pós-barba. A pele dele precisa de um produto calmante, hidratante e até que faça a barba crescer mais devagar. Bem, existem ativos que fazem isso e podem ser unidos em um único produto. Eis um bom exemplo de cosmético multifuncional”, diz o farmacêutico Lucas Portilho, consultor e pesquisador em cosmetologia e diretor científico da Consulfarma.

Aliados na corrida contra o tempo

Ao agregar várias funções em uma única fórmula, esses produtos aumentam o conforto e reduzem o tempo dedicado aos cuidados pessoais. “Vários estudos mostram que a vida corrida e a busca por uma rotina mais prática direcionam a indústria para esse tipo de lançamento”, diz a farmacêutica Cláudia Coral, vice-presidente da Galena. “Hoje, não temos tempo de aplicar tudo que é necessário e recomendado para a nossa pele”, observa a dermatologista Thais Pepe, membro da Sociedade de Cirurgia Dermatológica e da Academia Americana de Dermatologia. Então, as empresas de HPPC lançaram produtos que servem para mais de uma finalidade simultaneamente. “Precisamos, por exemplo, de hidratação e fotoproteção diária, e para quem tem tendência a apresentar manchas, de bloqueio físico diário (maquiagens e os filtros com cor). Além disso, como muitos vivemos em grandes cidades e a poluição também gera manchas e envelhecimento precoce, são indicados ainda antioxidantes para combater esses radicais livres gerados pela ação negativa dos poluentes”, exemplifica Thais.

Origens na Coreia e Alemanha

O primeiro multifuncional a conquistar o coração e a pele da consumidora brasileira foi o BB cream (beautybalm, blemishbalm ou bálsamo embelezador). Ele veio da Coreia e passou a fazer parte do nécessaire nacional de beleza há 3 ou 4 anos. “A fórmula original nasceu na Alemanha, nos anos 60, com o objetivo de ajudar na recuperação das peles que eram submetidas a procedimentos mais agressivos como laser ou peeling químico, com cobertura e efeito de maquiagem”, explica adermatologista Claudia Marçal, membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e membro da American Academy of Dermatology. “A versão asiática, que fez muito sucesso no ocidente, traz a perspectiva de cobertura extremamente homogênea, proteção solar, hidratação e revitalização da pele sem engordurar ou obstruir os poros”, detalha Marçal.

Rosto, cabelos, corpo

Depois dos BB Creams vieram os CC Creams e os DD Creams. “O CC Cream (Complete Correction) tem a função de clarear e tratar as imperfeições com agentes clareadores e anti-idade. E o DD Cream (Daily Defense ou defesa diária) é rico em antioxidantes para combater os danos causados pela exposição solar e os radicais livres provenientes, principalmente, da poluição”, explica Mika Yamaguchi, consultora técnica e farmacêutica da Biotec Dermocosméticos.

Apesar de grande parte dos cosméticos multifuncionais serem para a pele, o mesmo movimento acontece nos produtos para as unhas, o corpo e os cabelos. Já existem xampus que limpam, selam a cutícula, dão brilho, previnem a queda e hidratam.

Tecnologia de ponta

Ciência e pesquisa é o que está por trás dos cosméticos multifuncionais. “Eles trazem ativos com eficácia garantida cientificamente”, afirma a farmacêutica Cláudia Coral. “É tudo comprovado com alta tecnologia e excelência. ”

O grande segredo é que a fórmula deles deve reunir ativos compatíveis quimicamente – quaisquer que sejam suas utilidades. “No segmento de skincare, como a absorção dos ativos é dificultada pela impermeabilidade da pele, surgiram as partículas nano, que aumentam a penetração cutânea desses produtos”, explica a dermatologista Thais Pepe.

Mercado competitivo

Hoje, grande parte da população consumidora pode ter acesso a produtos segmentados e especializados. De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC), 30% do faturamento bianual da indústria de cuidados pessoais no Brasil são gerados por lançamentos. O mercado torna-se, assim, altamente competitivo, fazendo com que as indústrias invistam sempre em novas linhas.

“Quando uma empresa lança um produto com 3 benefícios em 1, as demais marcas começam a perder mercado, o que leva à necessidade de inovar e lançar o 4 em 1. Não demora para que o 5 em 1 apareça, e assim por diante. Quem ganha é o consumidor”, conta o farmacêutico Lucas Portilho.

Tendências reais e dos sonhos

Os primeiros foram os BB, CC, DD creams, que chegam a acumular até 12 benefícios em um único produto. Os multifuncionais relacionados com proteção solar já são uma realidade. Existem filtros que clareiam, que reduzem rugas, hidratam, já servem como base, uniformizando o tom da pele e protegendo inclusive dos danos causados pela luz visível (como manchas e envelhecimento precoce).  Há inclusive maquiagem multifuncional. “Máscara para cílios que condiciona e fortalece os fios além de colorir, o corretivo que tem antioxidantes para melhorar a qualidade da pele e apaga rugas além de disfarçar olheiras” diz Thais. E também bases com FPS, efeito anti-idade, anti-poluição (tendência forte que veio da Europa e procura neutralizar os efeitos da poluição sobre a pele) e lifting(auxiliando na redução instantânea de rugas e linhas de expressão).

A busca agora é para conseguir resultados no menor período de tempo possível. “Produtos multifuncionais que prometem benefícios em 30 dias procuram alcançar os mesmos resultados em 15 dias, depois buscarão tecnologias para reduzir para 7 dias até chegarem no maior desejo de todo consumidor, o resultado imediato”, observa Portilho.

FPS X Multifuncional

Segundo o farmacêutico, é importante salientar que produtos multifuncionais com FPS existem de duas formas: a primeira é um filtro solar com benefícios agregados, por exemplo, um filtro solar com FPS 30, UVA 10 e ação anti-rugas. Esse é um legítimo filtro solar. O outro exemplo é um produto anti-rugas com FPS 30. “Nesse caso, se o produto não apresenta proteção UVA, ele não é considerado um filtro solar, apenas um produto multifuncional que complementa a necessidade de fotoproteção diária”, explica Portilho.

Fonte: Estadão