Notícias da Mídia


Pequenas exportam: Mais aromas para o mundo

Publicado em: 04.09.2017

A empresa é pequena, tem 12 funcionários em sua unidade fabril na capital paulista, mas já deu passos grandes no mercado internacional e também em prol da sustentabilidade. A brasileira Feitiços Aromáticos fabrica produtos naturais, sensuais e esotéricos que são vendidos no Brasil, em Portugal e no Chile. Há três anos recebeu um prêmio nacional, na categoria pequenas empresas, por suas ações conscientes.

A empresária Raquel da Cruz e seu marido Robério Viana da Silva estão por trás dessa história. Ele vindo da área comercial de grandes indústrias e ela do secretariado executivo, os dois revolveram criar o próprio negócio há 16 anos. Com a ideia de ter uma loja para vender seus produtos, começaram produzindo colônias com conceito de aromaterapia.

Mas durante o tempo demandado para abrir a empresa, o casal acabou percebendo que o caminho era ser maior que uma lojinha, era ser indústria. Raquel, já formada em Letras e em Secretariado Executivo Bilíngue, foi fazer um curso técnico de Química. Logo a empresa se estabeleceu, criando novos produtos, ganhando mercado no Brasil e exterior.

A exportação para Portugal começou no segundo ano de funcionamento da Feitiços Aromáticos, por meio da trading de um português, e as vendas para o Chile começaram há quatro anos, após a participação da empresa em uma missão promovida ao país sul-americano pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

A Feitiços Aromáticos fabrica sais e espumas de banho, óleos para massagens, produtos para aromatização de ambientes, sabonetes líquidos, além de itens da linha sensualidade, como um estimulante com glicerina e extratos naturais para a região íntima, e extrato de jambu para a mesma parte do corpo. Esse último é um produto natural da Amazônia, segundo Raquel.

No Brasil, a pequena empresa vende seus artigos em lojas de produtos naturais, de produtos esotéricos, de presentes, de cama, mesa e banho, além de comércios de lingerie e sex shops. Há alguns anos, a Feitiços Aromáticos fez uma parceria importante com a rede de lojas de produtos naturais Mundo Verde. Em Portugal os itens vão principalmente para estabelecimentos esotéricos e no Chile para sex shops.

A empreendedora Raquel conta que a empresa está neste momento em um processo de reformulação, repensando a sua estratégia e até mesmo o nome. Ela acredita que o nome Feitiços Aromáticos não se adequa mais ao perfil de todos os produtos. Faz parte desse processo transformar as farmácias em um dos principais canais de venda, algo que já está em conversas para ocorrer no Chile.

O objetivo da empresária é se focar no conceito de saúde e bem-estar sexual. Por enquanto, ela pretende investir na expansão no Chile e só depois do processo de reformulação concluído, deve procurar outros mercados no exterior, entre eles o árabe. Raquel acredita que há espaço nos países árabes para os seus produtos.

A Feitiços Aromáticos está em busca de um investidor para expandir os negócios. A unidade fabril da indústria fica em Itaquera, na zona Leste de São Paulo, e produz 5 mil unidades por dia. Segundo Raquel, há capacidade para expansão para 3 mil itens por hora.

Apesar de ser pequena, a empresa é focada na sustentabilidade. Ela promove ações voltadas para o primeiro emprego, atividades junto à comunidade, capacitação de funcionários, além de aplicar medidas para redução do consumo de energia e água e utilizar produtos naturais na produção. A Feitiços Aromáticos foi a campeã em 2014 no Prêmio IstoÉ Empresas Mais Conscientes na categoria Pequenas Empresas.

Está nos planos da fundadora da empresa fazer um mestrado em Neurociência em 2018 para entender como as fragrâncias atuam no cérebro. “Para melhorar a experiência do consumidor”, diz. Ela também alinhavou uma parceria com a pós-graduação da Universidade Federal do ABC (UFABC) para realização de pesquisas na área juntamente com a Feitiços Aromáticos.

A companhia é associada da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec) e fez parte do projeto de internacionalização e promoção de exportações do segmento que a entidade leva adiante com a Apex-Brasil, o Beautycare Brasil.

A dona da empresa também fez capacitação no Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e participou do treinamento do projeto Inovação e Sustentabilidade nas Cadeias Globais de Valor (ICV Global), realizado pela Fundação Getulio Vargas com a Apex.

Fonte: Brazil Modal