Notícias da Mídia


Setor brasileiro de cosméticos em lenta recuperação retoma posições

Publicado em: 20.07.2018

A indústria Higiene Pessoal, Cosméticos e Perfumaria do Brasil, fechou o ano passado com US$ 14,5 bilhões, um crescimento real de 2,75%, ex-factory (líquido de imposto sobre vendas). O resultado modesto reflete o peso das perdas de 6% e 9% em 2015 e 2016 respectivamente, acrescido da pesada carga tributária. Essa informação e todas as outras que se seguem, estão publicadas e disponíveis para download – com gráficos – na página de Panorama do Setor 2018 no site da Abihpec. Aqui publicamos dados relevantes para a indústria nacional e também informar nossos leitores internacionais. (Fonte: Painel de Dados de Mercado Abihpec)

A crise econômica vivida pelo país a partir de 2015 causou forte queda no consumo e consequente recessão econômica, com o PIB chegando a recuar 7%. Embora em 2017 o setor tenha apresentado crescimento acima da economia, tal crescimento não foi suficiente para neutralizar as perdas do biênio (2016-2017), tampouco há esta expectativa para 2018. (Fonte IBGE – Banco Central )

A Balança Comercial total do Setor de Higiene Pessoal Cosméticos e Perfumaria (HPPC)

Em 2017, o déficit da balança comercial do Setor de HPPC apresentou aumento em razão da valorização da moeda nacional combinado com a melhora do mercado interno.

Em relação ao ano anterior, a exportação e a importação de produtos registraram um crescimento de 4,5% e 13,1% respectivamente, com destaque para as importações de perfumaria que apresentaram uma alta de 68,3% (US$ 44 milhões).

O país exporta principalmente para países da América Latina. Em 2017 os países para os quais mais exportou produtos de HPPC no acumulado de janeiro a dezembro foram: Argentina (US$ 153,7mi ); Colômbia (US$ 69,5mi); México (US$ 63,3 mi); Estados Unidos (US$ 14,3); Portugal (US$ 12,8 mi); Angola (US$ 6,1 mil), entre outros.

Importa da Argentina (US$ 118 mi), Estados Unidos (US$ 113,8 mi), França (US$ 112 mi), China US$ 88 mi ), México (US$ 63,7 mi ), Espanha (US$ 42,1 mi) e Alemanha (US$ 22,3 mi). (Fonte: MDIC/SECEX)

Empresas no País

O Brasil tem hoje 2718 empresas do setor de cosméticos, divididas entre as regiões: Norte , com 53 empresas. Centro Oeste, com 197; Nordeste, 295 empresas; Sudeste 1643 e Sul com 530, sendo que 15 são de grande porte, com faturamento líquido de impostos acima dos R$ 300 milhões, representam 75% do faturamento total do setor. (Fonte: Abihpec)

Participação de mercado na América Latina

O Brasil tem a maior participação mercado na América Latina, Em 2017 essa participação foi de 49,1%, seguido pelo México – 14,4%, Argentina – 8,3%, Chile – 5,0%, Colômbiia – 5,0%, Peru – 3,4%, Venezuela – 2,9%, Equador – 1,9%, Guatemala – 1,4%, Porto Rico – 1,1% Outros – 7,2%. (Fonte: Euromonitor)

O Brasil teve nos últimos 10 anos um crescimento composto de 8,2%. O setor fechou 2017 com um crescimento de 3,2%. É o 2º setor industrial que mais investe em inovação 1º setor industrial que mais investe em comunicação (atrás apenas do comércio e serviços ao consumidor – (Fonte: Ibope DEZ-2017)

Oportunidade de Trabalho

Após 2 anos consecutivos registrando queda nos empregos diretos, no ano de 2017 o setor volta a apresentar crescimento de 1,9%.

Na indústria, em 2017, foram criados 120,6 mil novos postos; em Franquias 221 mil; em consultoras de venda direta, 3,991 milhões e em salões de beleza, 1,333 milhão.

Produtos mais consumidos no Brasil em relação ao ranking mundial

De acordo com o Euromonitor o Brasil é o 2° maior consumidor nos segmentos de: Desodorantes, Perfumes, Produtos Masculinos e Proteção Solar.

Ocupa a 3° posição em: Higiene Oral, Produtos Infantis e Produtos para os Cabelos. É o 4° maior consumidor em Produtos para Banho. O 5° em Produtos depilatórios e Maquiagem. E o 8° mercado em produtos para os Cuidados com a Pele.

Fonte: CosméticosBR