Comunicados


Empresas brasileiras geram US$ 5,3 milhões em negócios realizados na in-cosmetics, em Paris

Publicado em: 05.04.2019

Delegação brasileira foi composta por empresas de HPPC, que realizaram mais de 1500 interações com organizações de outros países

 

Representando o quarto maior mercado de produtos de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos do mundo, empresas brasileiras estiveram presentes na in-cosmetics Global 2019 – uma das mais importantes feiras internacionais de ingredientes voltados à indústria do setor – e geraram aproximadamente R$ 5,3 milhões em negócios. A perspectiva é que nos próximos 12 meses ainda sejam produzidos cerca de R$ 15,9 milhões em negociações estimuladas pelo evento, que ocorreu em Paris, entre os dias 2 e 4 de abril.

Já consolidada como um dos momentos mais aguardados do calendário do setor de HPPC mundial, a in-cosmetics Global 2019 reuniu centenas de expositores e milhares de visitantes de diversos países. A participação nacional  foi possibilitada pelo Beautycare Brazil, uma realização da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC) e da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Para a gerente do projeto, Gueisa Silverio, os expositores brasileiros chamaram a atenção do público presente e contribuíram para a qualificação da percepção sobre o setor de HPPC do país.

“Pela relevância e tamanho do mercado de HPPC brasileiro, a exposição das empresas do Brasil sempre atrai o interesse de diversos atores globais. Estas companhias realizaram mais de 1.500 interações com organizações de outros países durante o evento. Segundo a organização da in-cosmetics Global, a feira cresceu 29% em número de visitantes, e isso se reflete em mais oportunidades para os participantes”, afirma.

O chefe do setor de Promoção Comercial e Investimentos, da embaixada do Brasil em Paris, Wagner Alves, destaca o potencial da indústria de HPPC do país se tornar cada vez mais uma referência mundial.

“Temos um mercado importante e a maior biodiversidade do mundo, com mais de 20% do estoque global. É muito provável que continuemos a desenvolver esta indústria criativa e inovadora e que exerçamos cada vez mais papel de influenciadores e geradores de tendências mundiais no setor”, explica Alves.