Comunicados


Plástico Brasil 2019 transforma a sustentabilidade em seu “selo” de qualidade para o mercado

Publicado em: 25.07.2018

Com os principais players da cadeia produtiva do plástico, a feira Plástico Brasil 2019 reunirá mais de 550 marcas nacionais e internacionais e trará como tema principal a sustentabilidade na cadeia produtiva

O plástico é uma matéria-prima indispensável no mundo contemporâneo. Por mais de 100 anos ele tem sido um dos materiais mais usados no processo de fabricação das indústrias nos mais diferentes segmentos – é barato, leve, durável, versátil e onipresente em nossas vidas.

Com suas inúmeras aplicações, seus produtos oferecem higiene, saúde, conforto, bem-estar, segurança, economia, praticidade e um excelente custo-benefício. Uma das principais funções do plástico é a de proteger – protege os alimentos desde sua produção até chegar a nossas mesas, por meio das embalagens; o meio ambiente, com suas mantas e revestimentos; e até os animais, substituindo, por exemplo, o uso do couro e seus dentes na fabricação de vários produtos.

A grande maioria não sabe, mas o plástico é 100% reciclável, possui perfil ambiental muito bom, somente 4% da produção mundial de petróleo é usada para produzi-lo (consome menos energia) e é economicamente sustentável – gera lucro, empregos, segurança, entre outros.

Apesar de todos esses benefícios, a produção de plásticos apresenta desafios, principalmente no que diz respeito à sua durabilidade, sua não reciclagem e descarte de forma incorreta no meio ambiente. A PLÁSTICO BRASIL 2019 – Feira Internacional do Plástico e da Borracha, que acontecerá de 25 a 29 de março, no São Paulo Expo, em São Paulo (SP), se transformará numa importante plataforma para a busca de soluções dos problemas que norteiam os plásticos, em seu processo de transformação, uso e descarte.

Sustentabilidade

O evento, uma iniciativa da ABIMAQ  – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos e da ABIQUIM – Associação Brasileira da Indústria Química, com organização e promoção da Informa Exhibitions, reunirá mais de 400 marcas nacionais e internacionais da cadeia produtiva do plástico e trará como tema principal a sustentabilidade/reciclagem do produto.

“Nosso objetivo é estruturar a mais importante feira de negócios do setor na América Latina e, ao mesmo tempo, debater e apresentar soluções para que as empresas transformadoras do plástico possam aproveitar ainda mais os benefícios que essa indispensável matéria-prima pode proporcionar a todos nós sem prejudicar o meio ambiente”, explica Liliane Bertolucci, diretora da Informa Exhibitions.

De acordo com Liliane, a PLÁSTICO BRASIL 2019 será um evento estratégico para isso num momento em que aumenta a ênfase global sobre a questão dos plásticos e o meio ambiente. “A feira é um grande mostruário de máquinas, equipamentos, produtos e serviços de toda a cadeia industrial do plástico. Estaremos apresentando novas tecnologias para o aumento da produtividade nas indústrias e, ao mesmo tempo, trazendo soluções de como fazer isso sem prejudicar o planeta. A educação ambiental será uma das principais mensagens da feira”, ressalta.

Foco em crescimento

A PLÁSTICO BRASIL 2019 terá mais de 70 novas empresas expositoras de diferentes segmentos do ramo. A área da feira ultrapassará os 40 mil m2.

A expectativa também é de aumento do público: em torno de 40 mil compradores, transformadores e profissionais do setor, que atendem e atuam em segmentos como o da construção civil, automotivo, autopeças, agricultura, moveleiro, eletrônico, hospitalar, vestuário, calçados, eletrodomésticos, entre outros.

Para isso, foi estruturado um plano estratégico promocional para o evento que contempla, entre outras ações mercadológicas, maior investimento em marketing digital e a participação em feiras do setor no Brasil e no Exterior, principalmente na América Latina.

“Nossa meta com este plano de marketing com ações segmentadas e de comunicação integrada é aumentar ainda mais a visitação qualificada da PLÁSTICO BRASIL 2019, atraindo púbico de mercados com enorme potencial de compra dos produtos da feira, como, por exemplo, de países da América Latina”, justifica Liliane.