Brasileiros estão cuidando mais da pele desde o início da pandemia

De acordo com a Abihpec os produtos voltados aos cuidados com a pele registraram crescimento de 161,7% nas vendas durante os dez primeiros meses de 2020, em comparação com o mesmo período de 2019

O período da pandemia mudou até a forma como lidamos com os cuidados com o corpo e com a pele. Hoje em dia os principais impulsionadores da indústria de cosméticos são aqueles relacionados aos cuidados com a pele, o que mostra também uma maior preocupação da população com a saúde.

De acordo com números da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec), os produtos voltados aos cuidados com a pele registraram crescimento de 161,7% nas vendas durante os dez primeiros meses de 2020, em comparação com o mesmo período de 2019. Certamente, o período foi fortemente marcado pelo isolamento social. Passando mais tempo em casa do que fora dela, o tempo que era gasto com escolha de roupas, arrumação do cabelo, maquiagem e outros processos. Acabou, então, ficando livre para a realização das rotinas de skincare.

Vendas

Considerando todo o ano de 2020, o crescimento nas vendas dos produtos para skincare foi de 21,9%. Dessa maneira, a maior alta foi registrada pelos esfoliantes corporais (153,2%), seguidos pelas máscaras para tratamento facial (91%). No entanto, há alguns anos os produtos da categoria já registram bons índices de crescimento. A rotina de cuidados com a pele foi impulsionada pelas redes sociais através de vários influenciadores digitais que se tornaram especialistas no tema, divulgando os próprios hábitos de skincare, os produtos usados e até as receitas caseiras feitas para melhorar a saúde e a beleza da pele.

Novidade

A tendência abriu espaço para diversos tipos de produtos, como por exemplo, os suplementos de colágeno para a pele, que contém os nutrientes adequados para a manutenção da saúde dermatológica. E também os óleos capazes de combater os efeitos que o estresse causa no órgão. Aliás, o fato de o estresse ser aliado do envelhecimento precoce é mais um dos motivos pelos quais tais produtos fizeram tanto sucesso durante a pandemia. Além do estresse, várias outras marcas do “novo normal” também ajudaram a impulsionar a consolidação da rotina de cuidados. O álcool em gel nas mãos e a quantidade elevada de lavagens podem deixar a pele mais ressecada que o comum, exigindo, então, uma maior atenção à hidratação. E também o uso constante de máscaras pode facilitar o surgimento de espinhas na região do rosto – o que ajuda a explicar o aumento vertiginoso nas vendas das máscaras para tratamento facial.

Problemas

A própria Covid-19 pode causar sintomas na pele. Em alguns casos, foram observadas erupções e manchas ligadas à inflamação provocada pela doença. A vermelhidão e a irritação também podem estar ligadas à reação do organismo quando contraí o vírus.

Fonte: Guia da Farmácia

Comments

Open chat
Como posso te ajudar?