Notícias da Mídia


Parceria garante melhorias a cooperativa

Publicado em: 09.05.2016

O convênio entre a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC) e a Cooperativa de Trabalho dos Profissionais Prestadores de Serviços de Reciclagem de Lixo do Município de Barueri e Região, a Cooperyara, foi renovado para os próximos três anos. A iniciativa garante melhorias à cooperativa, que presta o serviço de triagem de todo o material reciclável coletado de Barueri.

A partir do Decreto nº 8.337 (publicado no Diário Oficial nº 798), a prefeitura autoriza a associação executar para a cooperativa a reforma física dos galpões utilizados para a triagem dos materiais recicláveis provenientes do Programa de Coleta Seletiva; a manutenção e reforma da parte elétrica das instalações; a reparação do asfalto da área de uso comum e a melhoria de toda infraestrutura destinada aos serviços. Além da doação de um novo caminhão, por exemplo.

No mesmo documento estão expostos os valores desses investimentos. As reformas físicas, por exemplo, são de quase R$ 284 mil, o asfalto da rua de acesso ao local tem o investimento de R$ 150 mil, o novo caminhão tem o valor de R$ 150 mil. Ao todo, são aproximadamente R$ 906 mil em investimentos.

De acordo com Geovani Bassan, coordenador da comissão municipal para a coleta seletiva, esse convênio já existia e agora foi renovado após a análise da demanda da cooperativa. No convênio que encerrou em 2015 foram R$ 110 mil em equipamentos.

“A associação tem uma dívida social e ela quer fazer um trabalho em nível ambiental, por isso ela ‘adota’ algumas cooperativas. Eles viram que a Cooperyara fez um bom trabalho e resolveram renovar esse contrato”, explica.

Após a publicação do decreto, a previsão para o início dessas intervenções é junho de 2016. As prioridades serão estabelecidas entre a cooperativa e a associação, sem interferência da prefeitura.

Trabalho
Atualmente a coleta seletiva de Barueri é feita por uma equipe terceirizada contratada pela prefeitura.

Depois de coletado, o material é enviado à Cooperyara. Lá a equipe separa o que é ou não reciclável, depois esses materiais são prensados em blocos e vendidos para empresas, que dão um destino final ao produto.

A venda desses blocos compõe o salário dos colaboradores. Ou seja, quanto maior o volume coletado, maior o salário de cada um dos 57 cooperados, que hoje trabalham no local.

Fonte: Folha de Alphaville